sábado, 26 de novembro de 2011

Melancia

Comecei este blog pensando em desabafar o turbilhão de sentimentos que me assolavam: ansiedade, medo, esperança, dor, baixa auto-estima, segurança, insegurança, fé,... Tudo junto! Depois percebi que, mesmo despretensiosamente, ajudava outras pesssoas que se identificavam comigo. E essas mesmas pessoas me ajudaram tanto! Assim, sentia que não estava sozinha. Apesar de saber que o caminho é muito individual, a luta é mesmo solitária... Mas a energia que transmitimos umas às outras nos dá força. Aliás, descobri que sou mais forte do que pensava.
Porém, nunca quis ser nem sou exemplo de nada. Sou egocêntrica, etc... Nunca disse que eu era nem próximo da perfeição. Desculpe-me àquelas que tinham outras expectativas. Aliás, sinto não ter publicado, mas recebi algumas críticas. Não sou boa em receber críticas. Sinto-me fragilizada e magoada... E preferi sofrer sozinha a publicar tais críticas e ofensas. Mas isso também passou, como tudo na vida.
Agora, quero focar a minha energia em coisas positivas, como o meu filho que já já estará aí.

E se alguém achar que mereço algum crédito, quero deixar uma dica que funcionou para mim: comam bastante melancia! Eu mesma nunca comi tanta melancia em minha vida. Sacia o desejo de comer doce, hidrata bem porque tem muita água, enche o estômago e saciando a fome, faz urinar bastante e também tem fibras que ajudam a ir ao banheiro (eu tenho ido 2 vezes ao dia!). Acho que é a única dica prática que posso dar.
Exercícios, não fiz nenhum. Ou porque ainda não estava liberada, ou porque não me sentia disposta mesmo. Pensei em caminhar nesta útlima semana. Mas acho que é tarde para algum benefício. E tenho medo de estar caminhando sozinha no parque e desmaiar.
Alimentação em geral, mantive a mesma. Sou contra dietas rigorosas. Mas também sempre busquei comer de maneira mais saudável.
Remédio e vitaminas, tenho problemas com eles. Principalmente com as vitaminas, sempre as sabotei. Se tinha que tomar 1 vez ao dia, tomei 1 por semana. O único remédio que tomo certinho é aquele para a pressão alta. Depois de saber dos riscos (de morte), resolvi levar a sério.

Sobre a minha trajetória, sei que ela tem sido mais fácil talvez do que a maioria. Sou mesmo privilegiada. Consegui engravidar com uma única e primeira transferência de FIV. Sinto-me mesmo privilegiada em tudo na vida. Meu marido e eu batalhamos para ter a condição que temos. Mas sei que quem conduz tudo em nossas vidas é um ser superior e Nele confiamos.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Memória de grávida

Não queria ter ficado tanto tempo (de novo) sem dar notícias. Mas estes útlimos dias têm sido uma correria danada. Só porque estou tentando me afastar do trabalho, mais problemas surgem e eu acabo ficando mais envolvida e trabalhando até mais tarde. É como sair de férias, mas pior. Entreguei a carta de licença-médica na quarta-feira, mas fui trabalhar até ontem. E não parei. Hoje eu não fui, mas fiquei checando e-mails. Segunda-feira de manhã, prometi voltar. Sou uma tonta mesmo...
Ontem, chegaram a poltrona e a cortina. Como eu não tive tempo de buscar, a loja acabou entregando a cortina, o que achei ótimo. Mas ao colocar, foi decepcionante. Eu errei a medida da altura em 10 cm. Pensei em eu mesma fazer a barra, mas não ficaria bom. Então, tive que levar a uma costureira para refazer a barra à máquina. Memória de grávida é mesmo falha. Eu medi, mas na hora de informar a medida, informei errado confiando apenas na minha memória. Eu também esqueci o aniversário de um amigo, lembrando somente um dia depois, já bem tarde da noite. Ele me perdoou considerando a minha gravidez.
Segunda-feira passada fiz ultrassom. Dudu estava com 3050g e 47cm. Disseram que estava encaixado já. Acho que ele pode nascer a qualquer momento. Por isso, quero arrumar o quarto dele e deixar a mala semi-pronta, ao menos.
Hoje, depois de tomar café-da-manhã com o meu marido, voltei para a cama e lá fiquei até um pouco mais tarde. Depois, tomei banho e saí à manicure. Almocei cedo na padaria e um pouco depois, fui a um outro salão fazer permanente nos cílios. Mas não ficou como eu esperava, ou costumava ficar. Disseram que pode ser a gravidez influenciando nos pelos dos cílios! Pode não parecer, mas eu sou pouco vaidosa. Mas como os meus cílios são curtos e escassos, e ainda retos, a permanente (quando dá certo) faz diferença.
Outra pequena vaidade que tenho é com o meu umbigo. Sei que para muitas mulheres, ao final da gravidez, o umbigo salta para fora. Eu tenho pavor de ver o meu umbigo saltado. Seria capaz de enfiar de volta com o dedo e colocar uma fita crepe. Mas ele não saltou, até agora pelo menos.
Hoje completei 37 semanas. Falta mesmo muito pouco para o Dudu chegar. E talvez eu sinta mesmo saudades da gravidez, ao menos dos poucos dias em que não tive problemas de azia, refluxo, náusea, pneumonia, etc... Mas dizem que a gente se esquece destas coisas. E eu, pouco a pouco, tenho esquecido também. Mas estou tão curiosa para ver a carinha do Dudu!!!

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Os (últimos) preparativos

Praticamente, chegou tudo que comprei pela internet para o Dudu. Às vezes é arriscado comprar pela internet coisas que não são padrões, coisas customizadas, por exemplo, que a gente não sabe como vai ficar. Alguns produtos que recebi, de fato, não gostei. O acabamento, a qualidade... não era o que imaginava. Outras, me surpreenderam. E por isso quero recomendar... O Ateliê Suave Cor é uma delas (http://www.elo7.com.br/suavecor/). A Suely do ateliê é super atenciosa e caprichosa. Olha o quadrinho do Dudu:


Também encomendei uns ursinhos para segurar a cortina. Tudo muito fofo! Indico sem piscar!
Falta chegar a poltrona... A cortina vou buscar na semana que vem. Também falta eu comprar uma bandejinha, mas isso já sei onde encontrar. O novo purificador de água já chegou, mas precisa ser instalado ainda. Preciso comprar uma cinta para mim, mas devo consultar a Dra. Percela se ela recomenda. Ouvi prós e contra.

Licença-médica vs maternidade

Tem horas que o cansaço bate forte e penso que eu poderia estar na minha cama, deitada, tirando um bom cochilo. Tem horas que acho que eu vou aguentar trabalhar até o último minuto, que terei disposição. Agorinha, estou no trabalho, mas estou cansada...
Esqueci de contar que já peguei um atestado para tirar licença médica a partir do dia 23/11, por 10 dias. Então, será o parto. Mas a assistente do Dr. Arnaldo, que me deu o atestado, disse que a empresa poderia não aceitar por causa da proximidade do parto e eu ser obrigada a tirar licença-maternidade mesmo. Se for assim, eu não quero desperdiçar dias da minha escassa licença-maternidade. Por isso, estou receosa de apresentar o atestado.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Passando as roupinhas

Em pleno feriado, tivemos mais uma aula de espanhol, logo pela manhã.
Depois, após muito tempo, resolvemos ir ao cinema. Fomos assistir a "Reféns", mas foi um pouco decepcionante. Por isso mesmo, foi cansativo ficar sentada na mesma posição por quase duas horas. Mas valeu ter saído com o meu marido para espairecer... Aliás, ontem até fomos ao Outback. Acho que estou querendo aproveitar os últimos dias de casal sem filhos.
Ao final da tarde, ainda passei as roupinhas do Dudu. Poderia ter pedido à diarista que já passa as nossas roupas. Mas estas primeiras, eu mesma quis passar, com todo o meu carinho.


Logo, devo deixar a mala da maternidade pronta. Ou ao menos, a lista das coisas que devo levar.
Ah, devemos estar vivendo um inferno tecnológico. O HD externo deu problema e o meu marido deixou cair o meu iphone que quebrou. O que mais falta acontecer???

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Enxeridos sem noção

Tirando o atraso...
Fiz mais um monitoramento fetal hoje. Tudo ok, embora ache que o Dudu estava mais calmo. Eu acabei não almoçando bem. Comi com má vontade um peixe preparado pela minha cunhada. Fiquei muito brava ontem. Meu marido voltou da casa dela (havia ido para arrumar um notebook deles) com uns discursos: que eu devo ou não devo comer isso ou aquilo durante a amamentação, que eu devo ou não devo fazer esse tipo de parto... Que enxeridos! Ninguém sabe da minha vida para dizer o que eu devo ou não fazer. O que me deixou mais brava foi o meu marido chegar me dando ordens. Essa é boa!
Como não trabalhei hoje, aproveitei para ir fazer os exames de sangue e urina. Fiz um outro onde se coletaram materiais ginecológicos e tive a confirmação de que estou com hemorróidas. Que horrível descobrir o que são as tais. Espero que tudo isso passe depois, com o tempo.
Para melhorar o meu humor, fiz compras. Comprei (mais) vestidos (já havia comprado no fim de semana), uma tiara, umas calcinhas... Não entendo porque devemos usar calcinhas altas, mas foram estas que comprei.
Na consulta de hoje não fizeram ultrassom. Desta forma, fiquei sem saber se o Dudu cresceu ou engordou. Vou fazer um mais sofisticado na semana que vem, no Fleury, novamente.
Ah, hoje fiz algo que queria fazer há tempos... Lavei os lencóis, as toalhas, as primeiras roupinhas do Dudu. Usei o detergente líquido para bebês, evitando qualquer cheiro ruim. E fiz outra coisa: enfim, encomendei a cortina! Daqui a uma semana, estará pronta.

Tecnologia

Minha mãe anda muito ocupada com a proximidade do Natal. Isso ocorre com todos que trabalham no comércio. Ela até me desconvidou a almoçar na casa dos meus pais porque eles estão sem carro (está na oficina) e ela não iria conseguir comprar os ingredientes direito. Vi que ela estava cansada, ainda mais andando de metrô na idade dela... Então, eu a convidei para almoçarmos num restaurante, sábado, perto do trabalho dela. Ela quase não apareceu, mas conseguiu chegar no finzinho (meu pai, meu marido e eu já tínhamos terminado). Passei na quitanda para as compras dela, dei carona até em casa... E aproveitamos para pegar as encomendas da minha irmã que havia acabado de retornar de NY naquela manhã. Mais coisinhas para o Dudu! Tapete de atividades, uma almofadinha redutora para o bebê conforto... Algumas maquiagens para mim. Quando meu marido foi abrir o pacote dele de um fone de ouvido supermoderno, de última tecnologia, a decepção. A caixa estava vazia!!! A minha irmã teve alguns objetos furtados da mala pelos funcionários da companhia aérea Delta. Dá para acreditar? Levaram a câmera fotográfica dela, este fone de ouvido... E nem arrebentaram a mala; usaram a chave mestra do cadeado que, suportamente, só a PF dos EUA tem. Porque ela tem certeza que colocou tudo na mala; viu inclusive o fone antes de decidir se traria na caixa ou não, antes de fechar a mala. Um absurdo! Ao menos, a caneta encomendada do Duty free chegou para que o meu marido não ficasse tão triste. Ele, que adora tecnologia...
E por falar em tecnologia, o notebook de casa nos deixou na mão esta semana. Simplesmente, parou de funcionar desde terça-feira. Por isso também, a dificuldade para postar no blog. Tivemos que ressuscitar o meu netbook, atualizando-o depois de mais de um ano sem utilizá-lo. Mas é o que tem me salvado. Porque escrever muito no iPad, é uma droga. Me irrita porque muda as palavras sem que se note. Quando se vê, o texto está horrível!

Barigón!

Pois é... Começamos a ter aulas de espanhol em casa. A princípio, apenas uma vez por semana. Mas já prevendo algumas ausências em Dezembro, a professora resolveu dar duas aulas na semana que passou. Eu já havia tido aulas há anos atrás. Mas meu marido, nunca. A professora acha bom que eu saiba um pouco mais e puxe o meu marido. Por outro lado, ele nunca foi de se concentrar nos estudos, embora seja muito esperto. Conheço desde a faculdade! Enquanto eu estudava, ele dormia no sofá... E quando fomos ter a segunda aula da semana, eu sugeri que estudássemos 10 minutos antes. Ele preferiu abrir o pacote que havíamos recebido com a banheira do Dudu, comprada há alguns dias pela internet. Quando a professora chegou, já não dava mais tempo de estudar nada.
Depois da aula, ele ainda solta um portunhol olhando para a minha barriga: barigón!!! Deu risada!
Curioso é que em dois momentos o Dudu fica quietinho: durante as aulas de espanhol e durante a leitura da revista Veja em voz alta (quando leio para o meu marido escutar). Ele deve achar tudo muito chato.

Dança do ventre

Faz uma semana que não postei nada. Certamente, não foi por falta de assunto. Mas no trabalho, a semana foi atribulada com um assistente de férias e o meu chefe prestes a viajar para a matriz (me pedindo alguns relatórios). Em casa, prenchi duas noites com aulas de espanhol. Só mesmo eu para inventar uma coisa destas a pouco tempo para o bebê nascer... Mas isso eu explico. Meu marido queria fazer aulas de espanhol. Então, pensei em fazermos juntos em casa. Talvez, eu não consiga continuar depois, mas aproveitei a professora em casa.
Bom, na segunda-feira passada fiz o meu primeiro monitoramento fetal para, entre outras coisas, ver a vitalidade (os movimentos, inclusive) do Dudu. Não sei se foi porque comi uma perinha antes de entrar em consulta que ele ficou todo agitado. Foi muma delícia escutar todos aqueles movimentos. Depois, no ultrassom, descobrimos que ele estava com 2690g e 42cm. Parece que engordou bem, embora não tenha espichado na última semana. Isso o colocou acima da média no gráfico e fez xom que o Dr. Arnaldo se sentisse confiante em marcar a data do parto: 05/12. Não é Novembro como eu gostaria, mas está bem.
Já em casa, animada com tanto movimento, resolvi gravar com a máquina compacta a minha barriga se mexendo. Mas parece que quando quero flagrá-lo, ele fica esperto e diminui os movimentos...
Não se assustem: o som ao fundo é a TV. Meu marido assistia a Transformers.

video

E eu garanto que nunca fiz dança do ventre.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Árvore de Natal

Passamos o fim de semana a sós, meu marido e eu. Sei que isso não será mais possível, em poucas semanas. Mas também acho que vai ser divertido ter um bebezinho entre nós. Ele é que me parece mais preocupado.
Temos recusado convites para jantares em Dezembro. Mas eu lhe disse que se o Dudu fosse sossegado, que ele poderia ir à festa de confraternização da empresa. Vamos ver...
Meu marido também estava ansioso por montar a árvore de Natal que, nos últimos anos, eu montei sozinha. Ele estava preocupado porque achava que ele mesmo não saberia montar sozinho, ao passo que eu estaria a cada semana mais cansada. Então, montamos juntos ontem. Uma tarefa a menos! Será que no ano que vem, o Dudu vai curtir a árvore, ou vai querer destruí-la? Pensei em comprar novos enfeites, mais infantis e coloridos, no ano que vem.
De fato, ontem dormi duas vezes ao longo do dia porque me senti muito cansada. Tem instantes em que me sinto muito disposta, e outros em que me sinto extenuada. Até certa tontura tenho sentido. E dor nos braços quando lavo a louça e agora, por exemplo, digitando. Fraqueza mesmo!
Por isso, sinto que preciso descansar mais.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Avó e bisavó

No feriado de quarta, fui almoçar com os meus pais, alguns tios, avó... numa churrascaria. Todos estão ansiosos pela chegada do Dudu. Será que eu mesma ficarei, assim, ansiosa? Acho-me relativamente calma. Só queria mesmo poder descansar uns dias antes.
No dia seguinte, a minha mãe me ligou 5 vezes (atendi só na 5a ligação) para dizer que a minha avó ficaria umas 2 semanas comigo, assim que o bebê nascesse, para ajudar a dar banho, a cuidar dele. Depois, eu liguei com mais calma à noite para perguntar que proposta estapafúrdia era aquela? Aí, entendi o sentimento da minha mãe. Como ela mesma não poderá me ajudar, pois trabalha mais do que eu, ainda mais às vésperas do Natal, ela convocou a mãe dela (minha avó) para fazer o trabalho dela. Dei risada! Disse que a avó poderia vir quando quisesse, mas que realmente não seria necessário. Tenho o meu marido para me ajudar também. E eu saberei me virar (espero).
Falando da avó (minha)... Ela me perguntou no dia do almoço o que eu ainda teria que comprar. Cortina, banheira... Ela, então, falou para eu comprar uma boa banheira que ela pagaria. Ok...
E a cortina, passei na Cinerama ontem. Horrível! Não achei nada. Definitivamente, terei que encomendar. E logo! E amanhã, os homens da manutenção dos móveis virão novamente para acabar o serviço. Enfim!

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Comprinhas

Se eu tivesse mais tempo e disposição, teria gastado uma fortuna com os preparativos. Por um lado, é mesmo uma pena não ter tido este tempo...
Descobri um site que agrupa vários ateliês e artesãos que recomendo: www.elo7.com.br. Foi de lá que comprei o trocador, a almofada, a cúpula do abajour, o quadro de maternidade... E, recentemente, encomendei um par de prendedores para cortina e um conjunto de potes de porcelana. Tem coisas muito bonitas, outras nem tanto. Só se tem que confiar nas fotos do site. Mas já dá para se ter uma boa ideia.
Ah, as cortinas. Já sei onde devo consegui-las: numa loja chamada Cinerama. Pena que não abrirá amanhã, no feriado. Mas, com base no site, acho que vou encontrar algum modelo lá. O que seria de mim sem a internet?

Uma brecha para falar do ipad... É prático porque se pode levar à cama, ao sofá, e navegar deitada. Mas é terrível para digitar porque ele muda as palavras que escrevo. Certamente, porque está configurado em Inglês. Por isso, às vezes meus comentários e posts ficam totalmente estranhos...

Hoje larguei o trabalho na hora do almoço. Passei no Mc Donald`s para um lanche rápido (e de certa forma, saudável): Mc Fish, suco e salada. Precisava voltar para a casa porque os rapazes da loja de móveis viriam terminar de montar a cômoda e fazer alguns acertos. Pois eles só vieram quase às 18hs. Repararam a maior parte dos problemas, mas ainda ficaram pendências. Poucas. Já dá para a própria diarista atendê-los sozinha da próxima vez. Pensei em eu mesma limpar os armários e acomodar tudo. Mas vou esperar até sexta-feira quando a diarista virá novamente. Não preciso ser tão ansiosa assim, não é mesmo?
Estou cansada. Meu marido perguntaria: de quê? Aliás, acaba de me ligar do aeroporto e está retornando. Que bom!